Ligamento cruzado anterior, exercícios e retorno ao esporte

Ligamento Cruzado Anterior:

LCA ou ligamento cruzado anterior é um dos mais importantes ligamentos do joelho. Localizado na região central da articulação, a sua função é impedir a rotação e a translação da tíbia anteriormente, em relação ao fêmur.

Este ligamento pode ser rompido quando a articulação sofre uma entorse. Durante a entorse as estruturas que mantém a estabilidade articular – os ligamentos entre elas – podem ser distendidas até que se rompam.

O retorno às atividades esportivas, tem maiores restrições e pode-se levar alguns meses até a liberação. Sessões de fisioterapia são fundamentais no período de recuperação e serão solicitadas.

A lesão do ligamento cruzado anterior (LCA) tipicamente resulta em perda da estabilidade articular, força muscular e função, gerando uma série de déficits no membro acometido.

Ligamento cruzado anterior, exercícios e retorno ao esporte 1

Reabilitação pós operatória:

Quando o tratamento cirúrgico é indicado, o paciente precisa ser esclarecido que haverá necessidade de tratamento fisioterápico logo após e que este deverá ser realizado por meses (dependendo do protocolo adotado) até o retorno do paciente ao esporte ou às suas atividades, ou até mesmo depois disso.

Retorno ao esporte:

O retorno ao esporte dependerá de vários fatores como:

  1. Força e controle muscular
  2. Amplitude de movimento do joelho
  3. Capacidade de realizar gestual próprio do esporte a ser praticado
  4. Cicatrização do novo ligamento

Todos os parâmetros, com exceção do último, podem ser objetivamente mensurados ou controlados. Estes parâmetros são conquistados, se o paciente realizar corretamente a reabilitação pós operatória, em torno dos 6 meses pós cirurgia.  É por isso, que a maioria dos protocolos de reabilitação permitem o retorno ao esporte em 6 meses. Porém a cicatrização completa do novo ligamento ocorre depois deste prazo e o paciente deve ter consciência desse fato, já que o retorno precoce pode colocar a cirurgia em risco.

Objetivos das fases de reabilitação

  • FASE 1:

Proteger o enxerto, controlar a inflamação, extensão e flexão bilateral total superior a 90-100 graus, obter padrão de marcha normal;

  • FASE 2:

Restaurar marcha normal, manter a extensão completa e melhora progressiva da flexão, proteger enxerto, controle de edema;

  • FASE 3:

Manter amplitude total do movimento, melhorar a resistência, força e propriocepção, proteger o enxerto;

  • FASE 4:

Fortalecimento muscular, controle neuromuscular em atividades funcionais;

  • FASE 5:

Regresso ao atletismo, manter a força muscular, resistência e propriocepção, regresso progressivo ao esporte de “pivot”, como o futebol e outros esportes de contato.

Existe concordância na literatura sobre os princípios gerais da reabilitação pós-cirúrgica da lesão do LCA, com relação ao controle de edema, melhora de amplitude articular, ganho de força, propriocepção, capacidade funcional, treino do gesto esportivo e treino do condicionamento. Apesar disso, existe divergência de quais exercícios físicos devem ser prescritos e quando.

Durante muito tempo os exercícios de CCF (Cadeia Cinética Fechada) foram priorizados no pós-operatório da reconstrução do LCA, recentemente estudos tem demonstrado que exercícios de CCA (Cadeia Cinética Aberta) também possuem sua importância nesse processo, devendo ser inseridos a partir da 6 (sexta) semana do programa. Logo, compreende-se atualmente que a combinação desses dois tipos de cadeias é a melhor escolha na reabilitação do LCA.

Dentre os exercício as CCF, fortalecedores de quadríceps, glúteos e tríceps sural, pode-se utilizar o Leg Press com variação de pés, altos ou baixos, estreitos ou largos dependendo da porção muscular a ser fortalecida. Agachamentos em combinação com a flexão de tronco parecem ser menos nocivos ao ligamento, devendo fazer parte da reabilitação. Utilizar a barra frontalmente ao corpo e apoios bilaterais são escolhas mais seguras de exercícios.

Enquanto aos exercícios de CCA, no trabalho de posteriores de coxa não foi encontrado nenhuma contra indicação, podendo ser utilizado tanto exercícios em cadeiras, quanto mesas flexoras. Para fortalecimento de quadríceps, a cadeira extensora pode ser utilizada em níveis angulares acima de 45o de flexão, sem observar sobrecarga ao neoligamento, a partir do 45o dia de reabilitação.

Nesse período da reabilitação a utilização de atividades funcionais e de propriocepção como caminhadas, corridas com mudança de direção, uso de escadas de circuito, pranchas de equilíbrio, balancinhas e entre outras, são de extrema importância, pois preparam para os gestos utilizados no dia a dia bem como recuperam habilidades físicas como agilidade, velocidade, confiança e melhora do tempo de reação, fundamentais para o retorno ao exercício e/ou esporte.

Agente uma reabilitação >

TEM ALGUMA DÚVIDA? Então deixe uma pergunta nos comentários abaixo, que será respondida.

Compartilhe essa informação!
Fisioterapia Brasília DF
Fisioterapia Brasília DF

Clínica Salus Trata e Consolidação Ortopedia, Fisioterapia e Acupuntura em Brasília / DF. Tratamentos fisioterápicos completos, com reeducação postural global e Pilates. Possuímos protocolos exclusivos para afecções do joelho e quadril, baseados na análise do movimento e dinamometria. Tratamentos com ortotripsia, procedimentos de infiltração, viscossuplementação com ácido hialurônico e bloqueios para tratamento da dor guiados por ultrassom.

No Comments

Escreva uma Mensagem ou Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *